Sozinho e isolado politicamente, Bolsonaro chora e busca apoio dos militares - Atualidades

Sozinho e isolado politicamente, Bolsonaro chora e busca apoio dos militares



O presidente Jair Bolsonaro, que se encontra politicamente isolado, tem demonstrado fragilidade emocional ao conduzir a crise do coronavírus e procura refúgio no setor militar para tentar retomar o controle do governo.
Em pelo menos uma ocasião recente, ele chorou ante interlocutores no Palácio do Planalto que não faziam parte de seu círculo mais íntimo, segundo informações da Folha.
O presidente da República reclamou que sofre críticas incessantes e aponta adversários externos, com especial predileção pelos governadores João Doria (PSDB-SP) e Wilson Witzel (PSC-RJ).
Bolsonaro e os chefes estaduais têm medido forças diante da pandemia, uma vez que o presidente defende medidas de isolamento parcial para grupos vulneráveis à Covid-19, enquanto os outros adotam as recomendações de quarentena da OMS.
O chefe do Executivo está sem suporte interno unânime. Ministros do governo, a começar por Luiz Henrique Mandetta (Saúde), mas também o popular Sergio Moro (Justiça), defendem o isolamento social. Paulo Guedes (Economia) falou que preferia ficar em casa “como cidadão”. Com isso, Bolsonaro se voltou para o seu meio de origem, o militar, cuja ala no governo havia sido reforçada no começo do ano após ter sido escanteada pelo chamado núcleo ideológico centrado nos filhos do presidente

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.