Pastor se recusa a batizar adolescente: "Cabelo crespo não é de crente" - Atualidades

Pastor se recusa a batizar adolescente: "Cabelo crespo não é de crente"



Um pastor da igreja evangélica Assembleia de Deus se negou a batizar uma adolescente negra, de 15 anos, devido ao seu cabelo crespo, na quarta (11), no centro da cidade de Jacobina, norte da Bahia.

De acordo com Martha Miranda, 

24 anos, amiga da 


família da adolescente, 

ela participava de uma 

palestra sobre as 

funções dos

 ministérios

 da igreja. "Tinha uma

 palestrante no evento 

que a elogiou.

 Nesse momento, 

o pastor disse que 

ela não poderia ser 

batizada com esse

 cabelo no microfone, 

ficando constrangida".', 

disse

 em 

entrevista à Marie Claire.

Foi aí que ela e a irmã da adolescente resolveram fazer um protesto e convidaram pessoas com cabelos crespos para irem ao culto, formando um grupo de 13 pessoas. "Fizemos um chamado pelas redes sociais e os fiéis já estavam cientes que iríamos. Entramos no meio culto e ficamos lá,
de maneira silenciosa, porém presente. Assim que acabou, muitas pessoas vieram falar com a gente, pedindo desculpas pela situação e afirmando que o Deus deles não liga para o cabelo". 

Protesto na Assembleia de Deus  (Foto: Arquivo Pessoal)
PROTESTO NA ASSEMBLEIA DE DEUS (FOTO: ARQUIVO PESSOAL)
Por causa da repercursão, o pastor procurou a família da adolescente. "Ele a chamou para assinar o formulário de batismo nessa reunião, mas citou que ela deveria mudar um pouco o cabelo. Em nenhum momento, pediu desculpas pelo ato racista. Disse que poderia batizá-la se ela arrumasse o cabelo. Segundo ele, cabelo crespo não é de crente", afirmou. "Ela acabou desistindo do batismo afirmando que não há esse pedido para mulheres com os fios lisos". 


R. S. disse à Marie Claire que não faz mais parte da igreja Assembléia de Deus. "Saí porque não dá mais para mim. Não foi o primeiro caso de racismo comigo. Neste ano, ele disse que meu cabelo não era compatível com o evangelho durante a oficialização de um gupo de coreografia".

E continuou. "Agora descobri que o pastor e os fieis que o seguem estão organizando um protesto contra mim. O dano que ele me causou é real. Estou bastante chateada e desapontada, porém não surpreendida".

Marie Claire entrou em contato com a Assembleia de Deus por e-mail. Até o fechamento desta reportagem não obteve resposta

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.