Depois de matar padre, rapaz mata o próprio pai queima o corpo e confessa - Atualidades

Depois de matar padre, rapaz mata o próprio pai queima o corpo e confessa



O crime aconteceu no último final de semana em Paranaguá
A Polícia Civil de Paranaguá, no Litoral do Paraná, investiga mais um crime cometido por Paulo Roberto Nunes, de 25 anos. O rapaz, que é morador da cidade, confessou ter matado o próprio pai, porque segundo ele, o homem teria abusado de uma de suas irmãs. O crime aconteceu no final de semana e chocou a cidade.

Segundo a polícia, Carlos Roberto Nunes, de 55 anos, foi assassinado e teve o corpo carbonizado pelo próprio filho. Paulo Roberto Nunes, o filho, foi preso logo após o crime, quando tentava tirar a própria vida, ameaçando pular de uma passarela.
Durante o resgate, a polícia descobriu que o jovem era o mesmo que já havia matado outra pessoa e confessado o crime.
As investigações apontam que Paulo teria matado, quando tinha 21 anos, o padre Auci Ribeiro Lucas, na época aos 45 anos, também no litoral do Paraná.
A morte do padre, na época, foi justificada pelo rapaz como vingança por conta de relações sexuais que mantinha com Auci Ribeiro Lucas. O padre ficou exercendo o cargo por um tempo nas cidades do litoral, e depois foi transferido para a cidade de Tunas do Paraná. Mesmo assim, continuou a manter contato com o rapaz.
Na época do crime, Paulo Roberto chegou a ser preso com o carro da vítima. Ele teria afirmado que o padre pagava para manter relações sexuais com ele e que um desentendimento, por conta disso, foi o que motivou o assassinato, e não os abusos que hoje ele diz ter sofrido.
Rapaz estava em liberdade, mas respondendo pela morte do padre

Após ter sido preso, acusado pela morte do padre, Paulo Roberto foi solto para responder ao crime em liberdade. Nesse período, acabou sendo flagrado por populares praticando um roubo. Chegou a ser espancado no meio da rua e ficou gravemente ferido.
Por enquanto Paulo Roberto, que estava muito desorientado quando foi detido enquanto tentava se matar, ficou preso por conta do roubo que praticou. A polícia ainda não conseguiu ouvir seu depoimento sobre a morte de seu pai, mas aos socorristas ele confessou este novo assassinato.
Matou e incendiou o corpo do próprio pai
O segundo assassinato cometido por Paulo Roberto aconteceu no final de semana, mas ele deu indícios de que faria alguma coisa muito antes, no dia 17 de maio. Nas redes sociais, o rapaz fez uma postagem em que dizia que não aguentava mais conviver com seu pai, pois o homem teria abusado de sua irmã.
O desabafo continua nas redes sociais e mostra o desespero traduzido em palavras de um jovem atormentado. Em seu texto, demonstrou ódio, revolta e falou sobre impunidade.
Poucos dias depois, matou seu pai e incendiou o corpo. Após isso, tentou se jogar da passarela onde foi encontrado.
Informações do Correio dos Campos.

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.