URGENTE:Em novo recorde Brasil chega a 1476 mortos por covid-19 em 24h e supera Itália em número de casos fatais - Atualidades

URGENTE:Em novo recorde Brasil chega a 1476 mortos por covid-19 em 24h e supera Itália em número de casos fatais



Pelo terceiro dia consecutivo, o Brasil bateu o recorde de confirmações de mortes pelo novo coronavírus em 24 horas e ultrapassou a Itália em números absolutos, se tornando o terceiro país com mais casos fatais pela covid-19 no mundo. Nesta quinta-feira (4/6),
o país confirmou mais 1.473 mortes pela doença e soma 34.021. De acordo com dados da Universidade John Hopkins, o Brasil só fica atrás dos Estados Unidos, que tem 108.208 mortes, e do Reino Unido, 39.987. 

Nesta quinta, o Brasil ultrapassou o número de fatalidades da Itália, que, até a última atualização, tinha 33.689 registros, ou seja, 332 mortes a menos que o total brasileiro.
A pasta também confirmou mais 30.925 casos do novo coronavírus e, com a adição dos casos, o Brasil totaliza 614.941 infectados.

Em meio à crise de saúde no país, a atualização de casos e mortes feita diariamente pelo Ministério da Saúde por volta de 19h, atrasou assim como ontem.
Nesta quarta-feira (3/4), o ministério divulgou os dados atualizados mais tarde, às 22h, "devido a problemas técnicos". Nesta quinta, sem informar anteriormente que atrasaria, a pasta atualizou os dados às 21h58. Dessa vez, o Ministério da Saúde não explicou o motivo do atraso. 

Além disso, em meio a pandemia, a pasta está há 20 dias sem ministro da Saúde. O ministério tem como chefe interino o general Eduardo Pazuello, que na gestão do ex-ministro Nelson Teich foi nomeado como secretário-executivo da pasta.
Como ministro interino, Pazuello nunca participou das coletivas sobre o combate ao novo coronavírus realizadas quase diariamente no Palácio do Planalto. 

Os representantes da equipe da Saúde presentes na coletiva realizada mais cedo nesta quinta foram questionados sobre a presença do ministro. No entanto, nenhum dos presentes quis responder e pediu que a demanda fosse enviada para a assessoria de comunicação. 

Estavam presentes o secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário; a secretária substituta de Atenção Primária, Daniela Ribeiro; a diretora substituta do Departamento de Saúde da Família, Larissa Gabrielle Ramos; e a diretora substituta do departamento de articulação estratégica de vigilância em saúde, Greice Madeleine.

Interiorização

Ainda em curva de ascendência de casos, o país já tem 4.222 mil municípios com registro de casos de covid-19, ou seja, há a confirmação de um ou mais infectados em 75,8% do território brasileiro. Em relação aos óbitos, 1.821 cidades já têm mortes pelo novo coronavírus, ou seja, 32,7% de todos os municípios brasileiros. 

Apesar do secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário, enfatizar que a maioria dos municípios ainda tem um pequeno número de casos, a interiorização da doença pode ser vista com o aumento de cidades atingidas em dois meses. Em 2 de abril, 471 cidades reportaram casos. Dois meses depois, em 2 de junho, o número cresceu para 4178 municípios. Ou seja, em dois meses 3.707 novas cidades confirmaram pelo menos um caso da doença. “Lembrando que a grande maioria reportou um pequeno número de casos mostrando a importância do monitoramento dos contatos”, alertou Macário em coletiva de imprensa feita antes da divulgação dos números desta quinta-feira; 

O secretário substituto de Vigilância em Saúde não soube precisar quando será o pico da doença no Brasil.

“ Não é possível prever quando vai ser o pico,
se eu soubesse seria fácil agir, mas essas estimativas são modelos teóricos que estão disponíveis para todos. A gente trabalha com números reais, então o que a gente observa é essas tendências semana após semana”, pontuou. 


No entanto, Macário afirmou que espera uma tendência de estabilização nas próximas semanas. “O que a gente tem observado é uma tendência à estabilização nas próximas semanas por conta de um período sazonal que historicamente diminui a transmissão de doenças respiratórias na região norte e nordeste”, afirmou.

Estados

São Paulo, epicentro da doença, tem registro de infecção em 543 dos 645 municípios, sendo que 8.560 pessoas já morreram pela doença. Além disso, o estado tem 129.200 casos da doença. O Rio de Janeiro é o segundo estado com mais mortes e casos pela covid-19 com 6.327 mortes e 60.932 casos. 

Superando a barreira de mil mortes junto com o RJ e SP, o Brasil tem mais cinco estados. São eles: Ceará (3.813), Pará (3.416), Pernambuco (3.134), Amazonas (2.183) e Maranhão (1.062). Juntos com os dois líderes do ranking, esses estados somam 28.495 óbitos, ou seja, 83,7% de todas as mortes já confirmadas. Apenas três estados têm menos de cem mortes cada: Tocantins (87), Mato Grosso (82) e Mato Grosso do Sul (20). 


Recuperados 

O Ministério da Saúde divulgou ainda o número de pacientes recuperados da covid-19.

Foram liberados 254.963 do total de pacientes diagnosticados com o novo coronavírus. Isso representa 41,5% das pessoas que tiveram a doença. Já os brasileiros que não resistiram representa 5,5% desse montante. Outras 325.957 pessoas, 53% do total, continuam em acompanhamento
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.